A EDUCAÇÃO DO RIO ESTÁ ESTAGNADA

/, Educação no País, Profissão Professor/A EDUCAÇÃO DO RIO ESTÁ ESTAGNADA

Alunos da rede pública do Rio de Janeiro vão mal em avaliação. Foto: Alessandra Coelho/PMRJ

Fonte: CBN

 

O quadro Escola da Vida, na CBN Rio, destacou o resultado do Programa Conhecer, que avalia os alunos da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro. As notas em Português (5,5) e em Matemática (2,8) foram bem baixas. Ao todo, 84 mil alunos, de um total de 110 mil, do 9° ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, fizeram as provas em abril.  A educadora Andrea Ramal comentou os resultados fraquíssimos e destacou que a Educação no estado do Rio de Janeiro está estagnada.

“Os ouvintes devem se lembrar que o estado do Rio tinha um sistema de avaliação chamado Saerj, bem semelhante ao adotado atualmente, e, já naquela época, os resultados das avaliações eram muito ruins. Esses diagnósticos são fundamentais para que encontremos as deficiências e lacunas e possamos corrigi-las mas, infelizmente, muito pouco é feito. A nova avaliação mostra que a educação do Rio está estagnada e não tem como piorar muito”, explica Andrea.

A educadora lembrou que os anos passam, novos governantes são eleitos, mas a Educação não avança. São inúmeros os fatores que estão por trás desses resultados. “Os professores do Rio de Janeiro enfrentam uma realidade extremamente difícil porque faltam recursos, não existem materiais avançados, o acesso à tecnologia é precário e ainda tem a questão da violência urbana.  Várias escolas e creches estão localizadas em áreas consideradas de risco. Assim, os professores trabalham com medo, o que impacta diretamente no processo de aprendizagem e influencia negativamente os resultados dos alunos, muitos acabam abandonando as escolas”, destaca Andrea.

Um outro problema é a defasagem entre as idades dos alunos e as séries onde se encontram. Temos, por exemplo, estudantes com 18 anos no quinto ano ou com 20 anos no sexto ano. “Fica muito difícil para um professor ensinar  em uma sala de aula com tantas diferenças. E os alunos, claro, acabam desmotivados. Nós precisamos de um plano estruturado de renovação da educação do Rio. Os resultados do Programa Conhecer mostram deficiências que interferem não só nos resultados de Matemática e Português. Até porque, é preciso lembrar que o mau desempenho em Português, por exemplo, se reflete diretamente na capacidade de interpretar enunciados de questões de História ou Geografia”, ressalta a educadora.

Andrea Ramal lembrou o papel da família. Os pais precisam dar importância ao estudo, ensinar as crianças e os jovens a respeitar os professores e anima-los. O papel do estado também é fundamental. “O problema é que não existe continuidade nas políticas públicas. Nós até tivemos ações interessantes em anos passados, mas basta mudar o secretário e tudo recomeça do zero. Precisamos parar de associar  educação a questões partidárias e criar um plano que vá além de um governo”, explica a especialista.

Confira a participação na íntegra
2019-06-20T17:12:58+00:00