ESTÚDIO I: PISA REVELA QUE 43% DOS BRASILEIROS NÃO APRENDERAM MÍNIMO DE LEITURA, MATEMÁTICA E CIÊNCIAS

/, Educação no País, Profissão Professor, Tendências/ESTÚDIO I: PISA REVELA QUE 43% DOS BRASILEIROS NÃO APRENDERAM MÍNIMO DE LEITURA, MATEMÁTICA E CIÊNCIAS

Resultado de avaliação internacional mostra que país segue estagnado entre os piores

 

Fonte: Estúdio i 

 

A educadora Andrea Ramal participa do programa Estúdio I, da GloboNews, e comenta os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). De acordo com o resultado do teste de 2018, divulgado nesta terça-feira, 43% dos participantes brasileiros não aprenderam o mínimo necessário nas três áreas do conhecimento testadas: Leitura, Matemática e Ciências. Neste mesmo quesito, a média dos países que formam a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é de apenas 13%.

Nível de matemática

Falando de matemática, temos um cenário muito preocupante no Brasil. De acordo com o Pisa, ficamos entre os 10 últimos colocados, entre 80 países. Se olharmos, por exemplo, para a nota dos que foram melhor, quantos alunos brasileiros ficaram entre os mais bem colocados, que seria o nível 5 e 6, o melhor nível do Pisa? Apenas 1%!”, alerta a especialista.

Avaliação ao longo dos anos

Estamos só andando de lado. A própria OCDE pontuou no relatório que o Brasil está estagnado. Estamos sempre oscilando, há vários anos, nessas mesmas notas”, afirma Andrea.

Segundo levantamento do Inep, 20% dos professores não têm formação superior. E este resultado também implica nos dados do Pisa.

Capacitação docente

A formação de professores está ficando cada vez mais complexa. A situação brasileira é gravíssima. Temos um problema devido à formação técnica, já que o professor precisa dominar o conteúdo que vai ensinar e sabemos que existem profissionais que não são formados na disciplina que lecionam, e há ainda a questão da didática, isto é, como ensinar para um aluno do século XXI. Temos, hoje, as metologias ativas de ensino, que promovem mais protagonismo ao estudante, mas isso não pode ser espontâneo. Precisa estar de acordo com os modelos pedagógicos que estão em voga e que, por sua vez, são fundamentados em teorias de aprendizagem”, ressalta Andrea.

Exemplos ao redor do mundo

No Brasil, Pedagogia é o primeiro colocado em número de matrículas nos cursos a distância. Em Portugal, por exemplo, um aluno recém-formado tem um ano de residência, como acontece com os médicos, que se chama residência-pedagógica. Então, ele vai para a escola, mas está sendo acompanhado e avaliado. Países com alto-desempenho em educação, como China e Finlândia, também adotam esse método de formação dos professores”, explica a educadora.

Assista!
2019-12-04T19:29:57+00:00