DESAFIOS DA INTERNET COLOCAM A SAÚDE DOS ADOLESCENTES EM RISCO

/, Educação no País, Tendências/DESAFIOS DA INTERNET COLOCAM A SAÚDE DOS ADOLESCENTES EM RISCO

Foto: Divulgação

 

Fonte: Extra Autora: Evelin Azevedo

 

Desafios como da “rasteira” e o “do sal” se popularizaram nas redes sociais, principalmente no aplicativo Tiktok, nova febre entre os jovens. O app apresenta inúmeros vídeos de duração máxima de 15 segundos, tempo suficiente para passar mensagens boas ou ruins.

— Os desafios online e outros tipos de riscos do uso da internet precisam ser debatidos de forma transparente entre professores, pais e alunos. Somente a partir de uma estrutura bem construída, como uma rede efetiva de proteção, será possível fazer frente a todos os desafios que um mundo em constante transformação nos apresenta — orienta a educadora Andrea Ramal.

— Isso ocorre pela necessidade de autoafirmação, característica das crianças e adolescentes. Participar desses jogos e entrar em novas redes sociais é próprio da insegurança que as fases da infância e da adolescência geram — explica Andrea.

Pais, fiquem atentos!

Conecte-se

Os pais precisam ser conectados, antenados e participantes ativos do mundo digital. Precisam se informar cada vez mais sobre tecnologia e aprender a usar os dispositivos e mídias que as crianças e os adolescentes dominam.

Converse  

É preciso muito diálogo em família sobre o uso da internet e das redes sociais. Os pais devem observar comportamentos que fujam ao normal e conversar a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira.

Estimule o senso crítico 

Durante as conversas, os pais devem levantam discussões, trazendo casos reais, como o próprio “desafio da rasteira”, e incentivando os filhos a pensarem como estas podem ser prejudiciais para a saúde deles e de seus colegas.

Supervisione

Em relação às crianças, os pais devem ter mais controle e supervisionar o uso de celular, computadores e videogames. Para os adolescentes, vale mais a conversa do que a supervisão, sempre observando mudanças de hábitos e posturas.

Coloque limites

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, crianças com menos de 2 anos não devem ser expostas a telas. De 2 a 5 anos, o limite é de 1 hora de uso. Dos 6 aos 10 anos, no máximo 2 horas. A partir do 11 até atingir os 18 anos, o limite é de 3 horas.

Dê autonomia

Após munir seus filhos de informação, é hora de dar a eles autonomia para usarem a internet. Coloque-se sempre à disposição para qualquer dúvida que possa surgir.

Leia a matéria completa
2020-03-07T08:45:01+00:00